27 junho, 2008

Mississippi Moaners: 1927-1942


Fico fascinado quando encontro discos como esse. São gravações raras de artistas pouco conhecidos na época, mas que posteriormente fariam sucesso com suas canções. O disco pode ser considerado bem gravado, considerando-se a precariedade dos equipamentos da época. Entre os grandes nomes do disco estão Son House, Mississippi John Hurt, Skip James, Rube Lacy e Charley Patton.

E como hoje é sexta-feira, recomendo que pegue esse disco, ajeite sua poltrona favorita, arranje algum destilado, coloque o cd pra tocar e desfrute. Porque até o delicioso chiado dos discos de vinil foi preservado nessa compilação. E bom fim de semana!

Tracklist:

1. The New 'Frisco Train - Washington White
2. Down The Big Road Blues - Mattie Delaney
3. Traveling Mama Blues - Joe Calicott
4. Gas Man Blues - Mae Glover Listen Listen
5. Stand Up Suitcase Blues - Uncle Bud Walker
6. Special Rider Blues - Son House
7. Mississippi Moan - The Mississippi Moaner
8. Big Leg Blues - Mississippi John Hurt
9. Lonesome Atlanta Blues - Bobby Grant
10. Cherry Ball Blues - Skip James
11. Ham Hound Crave - Rube Lacy
12. Married Man Blues - Blind Willie Reynolds
13. Two Little Tommies Blues - Papa Harvey Hull
14. Devil Sent The Rain Blues - Charlie Patton


Agradeço ao Boogie Chillin' pela belíssima contribuição.

3 comentários:

Mauricio Schultz disse...

Olá Litlle Thin Jones!
Não é com pouca alegria que lhe congratulo pelo retorno das postagens, baixei o “Mississipi Moaners” e quando botei no play “The New Frisco Train” fui acometido por um grande e belo sentimento de tristeza, neste exato momento está para cair um temporal por aqui e pra dizer a verdade não me importo mais que chova, e como hoje não posso tomar um bom vinho estou tomando mais um copo de café quente. Estou começando a considerar que todas estas coletâneas da Yazoo Records são excelentes, tanto pela seleção quanto pela arte das capas, tenho dois vinis dela “ST. Louis Town” que estampa uma foto magnífica de Charley Jordan na capa (que inclusive reproduzi em litografia) e “The Voice of the Blues” que na contra capa tem uma xilo de Robert Armstrong emoldurando as notas, você não tem idéia de como adquiri estes LPs, literalmente eu garimpei eles debaixo do assoalho da casa de minha ex-namorada, era de um amigo norte americano da mãe dela que havia sido assassinado em Florianópolis, tinha desde Muddy Waters, Johnny Winter, Allman Brothers, Grateful Dead, Jimmy Hendrix, George Harrison, Roy Orbinson e uns sete discos do Bob Dylan, um deles “Blood On The Tracks” que de tão incrustados de terra que sua capa até parece uma ostra e os discos são audíveis apesar dos chiados, perolas para os ouvidos.
Um abraço e até mais.

Little Thin Jones disse...

Concordo com você em relação a Yazoo. Apresar da Chess Records ser mais "badalada", todo material que consegui da Yazoo até hoje é extremamente caprichado e bem acabado.
E que bela história essa dos discos de vinil! Foi realmente um achado e tanto! Você ainda tem esses discos? Ou quando ela virou ex-namorada, eles viraram ex-discos?

Abraço e obrigado pelo comentário!

Mauricio disse...

KKKK Tenho os discos (e não vendo), ela deu-me de presente, ela sabia meu ponto fraco, nem devolvo, afinal de contas ela nem curtia, pra os deixar chegarem naquele estado.

Valeu.